VIGO – CANGAS

TRILHOS

Rota Cidade Histórica – Cangas, Rota de Congorza – Cangas, Rota de Cabo Home – Cangas, Rota Costeira das Furnas – Cangas, Rota Costeira Areamilla e Liméns – Cangas, Vigo em 60 minutos, Rota Monte do Castro – Vigo, Rota Cidade Antiga – Vigo, Senda Panorâmica de Vigo, Senda Azul – Vigo e Ruta del Agua – Vigo

» Rota Cidade Antiga – Cangas

Através desta rota, o visitante irá descobrir o património histórico e artístico de Cangas do Morrazo, adentrando-se pelas ruelas da cidade antiga com as suas casas de varanda tão típicas das Rías Baixas e as suas praças de grande encanto.
Esta rota começa na Alameda, onde se encontra a escultura de Dom José Félix Soage, feita pelo grande mestre Francisco Asorey, em 1914. Muito perto dela, fica a escultura de Xoán Piñeiro ‘A Volta do Mar’, uma homenagem a essas pessoas que, dia após dia, vão em busca dos preciosos peixes e mariscos desta rica costa.

Uma das curiosidades de Cangas é ‘O Reloxo’, um velho aparelho de previsão do tempo construído no início do século, que é consultado pelos pescadores antes de iniciarem as suas viagens no mar.

Desde a Alameda, a rota continua até à Plaza del Arco, a antiga entrada da cidade. A partir daí, um passeio pelas ruas de Antonio Garelly e suas casas o transportará à Idade Média, através destas típicas casas marítimas das Rías Baixas.

Em seguida, a Rúa Real, com suas casas brasonadas combinadas com belos edifícios do final do século XIX com suas galerias brancas e seus brasões, nos mostra o monumento mais importante da cidade: a antiga igreja colegial de Santiago de Cangas.

A Igreja de Cangas foi construída no século XVI e elevada à categoria de Colegiado no ano de 1542. Do ponto de vista arquitectónico, este templo combina elementos góticos e renascentistas. Da fase gótica tardia é a sua planta basílica com três naves cobertas com abóbadas estelares, assim como os contrafortes e os pináculos no exterior.

No final do século XVI, o escultor Mateo López ergueu a fachada em estilo plateresco, uma das mais belas da Galiza. Nele podem ser distinguidos dois corpos onde os quatro evangelistas estão representados. Acima deles, um frontão triangular no qual se encontra a figura de Cristo.

Dentro do templo, destaca-se o retábulo da capela-mor, onde há uma imagem do Cristo del Consuelo do mestre Juan Pintos e uma cruz de prata de grande valor artístico.

Daqui, e através da Rúa do Hío, chega-se ao bairro do Eirado do Costal, o núcleo primário a partir do qual cresceu o povoado.

Se subir a Rúa de Síngulis, onde há um brasão usado da Inquisição, chegará à praça do mesmo nome, que tem uma bela cruz barroca.

A última etapa desta rota por Cangas do Morrazo é o Bairro dos Sinais, uma pequena cidade marítima onde se pode visitar belos jardins e a Capela Hospitalar, construída no século XVIII e actualmente restaurada.

A partir daí, começa um passeio que chega à Praia da Rodeira, o principal areal da cidade.

DISTÂNCIA:

2,5km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h 30min (ida e volta)

DIFICULTADE:

Baixa

TIPO:

ida e volta
Na rota de Congorza misturam-se história e cultura juntamente com a natureza e impressionantes paisagens. Trata-se de uma rota recomendável para fazer com crianças, uma vez que termina no Lago da Congorza ou Lagoa Massó, também conhecida como «Lagoa dos Patos», um local de grande riqueza natural e zona ideal para desfrutar de momentos únicos para se espraiar.
A rota começa na Marina de Cangas, situada na costa norte da Ría de Vigo, entre Cabo Balea e Punta Rodeira, bem no centro da cidade, junto ao posto de turismo e onde se encontra o cais de passageiros a partir do qual Mar de Ons faz viagens regulares a Vigo todos os dias do ano. Partindo deste lugar, a rota segue para norte ao longo da costa de O Morrazo.

O caminho continua pelo passeio marítimo, até passar o porto de pesca e a marina.

Ao longo deste caminho chega-se à Fábrica Massó, uma antiga fábrica de conservas e uma das mais inovadoras dos anos 50. Apesar de estar em ruínas, ainda se podem ver as velhas rampas baleeiras e as instalações que tinham para os seus trabalhadores: berçário, sala de jantar e zonas de duche.

Depois, passando por Punta Balea, você chegará ao Lago de la Congorza ou Laguna Massó, também conhecido como “Laguna de los Patos”, um lugar de grande riqueza natural e uma área ideal para desfrutar de momentos únicos de relaxamento.

» Rota de Congorza – Cangas

DISTÂNCIA:

2km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Baixa

TIPO:

ida e volta

» Rota Cabo Home – Cangas

Trata-se de uma das rotas costeiras mais belas e maravilhosas que existem na Galiza. Comunica Cangas do Morrazo com Cabo Home, o ponto mais ocidental da península do Morrazo. Todo este troço de costa encontra-se protegido sob a denominação de Espaço Natural Protegido da Costa da Vela, um dos poucos espaços virgens que ainda restam na costa de Pontevedra.
Esta rota percorre a Costa del Morrazo e termina na Zona Natural da Casa do Cabo, uma zona de grande interesse natural e paisagístico, de onde se pode ver um dos mais belos pores-do-sol.

O roteiro parte do porto de Cangas e leva directamente ao complexo Massó, um conjunto de edifícios que se encontram actualmente em ruínas e que marcou uma importante evolução económica e empresarial para a população de Cangas. A seguir, há uma pequena floresta que nos leva às ruínas da antiga baleeira.

Deixando para trás as construções do baleeiro, você pode admirar a pequena Lagoa Corgonza, um lugar de grande beleza paisagística que salvaguarda uma grande diversidade de espécies.

A rota continua até as Furnas e continua através de uma área de espectaculares falésias com vista para as Ilhas Cíes e sítios arqueológicos recentemente descobertos, para a área das praias de Liméns, Nerga, Viñó e Barra.

O caminho sobe ligeiramente, com os restos de uma antiga fábrica de salga, até chegar ao Cabo Home, onde se encontram os faróis Sobrido, Rodeira e Cabo Home, testemunhas de naufrágios, aventuras e grandes acontecimentos históricos que ali tiveram lugar.

Cabo Home é uma zona costeira, aberta ao Oceano Atlântico, protegida pelas Cíes e com um importante complexo dunar. É uma área natural protegida, dentro da Rede Natura 2000, juntamente com Cabo Udra e O Facho.

DISTÂNCIA:

24km (ida e volta)

DURAÇÃO:

7h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

Só ida

Belo sendeiro que decorre pelo litoral da Ria de Cangas e que permite desligar do barulho do centro da vila ao mesmo tempo que permite desfrutar de uma paisagem única e incomparável.
O trilho começa no porto de Cangas e passa pela antiga fábrica de conservas Massó e pela baleeira, edifícios chave na evolução económica de Cangas e que deixaram a sua marca na sua história.

O percurso continua por um túnel que leva a uma área de falésias, a mais de 150 metros acima do nível do mar, com formações rochosas particulares chamadas “furnas”: grutas criadas pela erosão do mar na costa.

A rota termina neste ponto, de onde se tem uma vista impressionante sobre o mar.

» Rota Costeira das Furnas – Cangas

DISTÂNCIA:

3,7km (ida e volta)

DURAÇÃO:

2h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Baixa

TIPO:

ida e volta

» Rota Costeira Areamilla e Liméns – Cangas

A Rota Costeira de Areamilla e Liméns é uma fantástica rota pedestre que percorre as paisagens costeiras do Morrazo. Trata-se de uma rota que começa no porto de Cangas e dirige-se para o norte percorrendo a costa e oferecendo umas impressionantes vistas do Oceano Atlântico.
Os primeiros pontos de interesse nesta rota são a antiga fábrica de conservas de Massó e a baleeira, verdadeiras testemunhas da evolução histórica e económica desta cidade tão intimamente ligada ao mar.

A seguir, outro dos recantos escondidos de Cangas do Morrazo, a Lagoa Massó, um lago natural que abriga uma grande variedade de pássaros e que se tornou uma maravilhosa área de descanso.

A Laguna de Massó é uma área única em O Morrazo, já que praticamente não existem habitats semelhantes na região. Até sete espécies de patos vivem aqui, incluindo o ánade que se reproduz e reside durante todo o ano. Também cria os cantarilhos e, no Inverno, aparece o galeirão comum. Nas árvores que margeiam a lagoa descansam e dormem a garça branca, a garça cinzenta e o martim-pescador.

A última parte do percurso é a mais bela e menos conhecida e percorre um caminho em direcção à Praia de Liméns.

Este caminho também passa pelas Furnas, que são buracos criados pelo mar que escavam por baixo e chegam ao topo do caminho.

O percurso acaba por visitar a Praia Areamilla, que fica numa pequena enseada e tem uma Bandeira Azul; e a Praia de Liméns, uma praia muito popular que fica na ensenada do mesmo nome e também tem uma Bandeira Azul e um grande número de serviços.

DISTÂNCIA:

2km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h 15min (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta
Apesar de ser a maior cidade da Galiza, é possível conhecer grande parte do seu passado, presente e futuro através de uma rota a pé com uma hora de duração. Para além de conhecer a arquitetura mais surpreendente da cidade, irá passar por algum dos seus monumentos mais importantes como o Farol de Urzáiz ou O Sereio da Porta do Sol.
Esta rota começa num dos pontos de encontro habituais dos vigueses, o poste de luz, desenhado por Jenaro de la Fuente em 1932, que se encontra junto ao Museu de Arte Contemporânea, no coração de Vigo, onde se encontram duas das ruas mais populares: Príncipe e Urzáiz.

Seguindo o percurso pela Rua Príncipe até ao fim, chegamos à Porta do Sol, assim chamada porque era uma das sete entradas da antiga cidade amuralhada. Aqui mesmo, encontramos o Sireno, uma escultura do galego Francisco Leiro, que representa a união dos vigueses com o mar, através de um híbrido entre o homem e os peixes.

Em frente, do outro lado da rua, está a Praça da Princesa, onde está o Angelote, monumento que comemora a Reconquista de Vigo, quando em 1809 expulsou as tropas napoleônicas, tornando-se a primeira cidade espanhola a se levantar contra o invasor.

Nesta área você vai encontrar o bairro histórico, um lugar único com muito charme, cheio de lugares onde você pode provar tapas ricas e variadas e um maravilhoso vinho local. Desde a Praça da Princesa, a rota continua até à Praça da Constitución, onde se encontra a antiga Câmara Municipal, hoje sede da Casa Galega da Cultura. Nesta praça você pode ver as arcadas dos edifícios do século XIX que eram usados pelos artesãos para vender seus produtos. Ali mesmo está a primeira luz eléctrica de rua que foi ligada na cidade.

O percurso continua do lado esquerdo da praça, onde passa pela Rua dos Cesteiros e Praça de Almeida, onde se encontra a Casa de Ceta, a mais antiga da zona histórica e hoje sede do Instituto Camôes de Língua Portuguesa.

À direita desta praça está a Igreja Colegiada de Santa Maria, que abriga a imagem do Cristo da Vitória, a quem é popularmente atribuído o triunfo sobre as tropas francesas. Logo abaixo fica a Praça A Pedra, local onde termina o percurso e onde se pode saborear as famosas ostras do estuário.

» Vigo em 60 minutos

DISTÂNCIA:

2km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h 15min (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

» Rota Monte do Castro – Vigo

A rota que nasce no Monte do Castro oferece um dos passeios com melhores vistas de Vigo. O Castro é o maior parque do centro da cidade e é, juntamente com o Parque de Castrelos, o seu autêntico pulmão, a um passo das ruas comerciais e das principais áreas administrativas e residenciais.
A rota pedestre começa no ponto mais alto da colina, bem no centro da fortaleza que a coroa, um muro do século XVII que hoje é o melhor miradouro de Vigo. Estas paredes contêm um jardim decorado com várias esculturas, como o monumento a Vigo de Camilo Nogueira ou a homenagem ao poeta medieval Martín Codax.

Percorrendo os caminhos que bordejam a fortificação de O Castro em direcção ao bairro histórico, chega-se a um miradouro onde se encontra o Monumento aos Galeões Rande: três âncoras e vários canhões encontrados no fundo do estuário.

A rota continua à esquerda, onde se encontram os restos arqueológicos dos primeiros habitantes de Vigo: habitações circulares de pedra de um povoado castrejo do século II antes de Cristo, que dão o nome à montanha.

Finalmente, voltando um pouco atrás, descendo em direção ao centro histórico, encontramos a torre da câmara municipal. Logo atrás dele, estão os restos da fortaleza de San Sebastián, a outra grande defesa da cidade, junto com a fortificação de O Castro.

DISTÂNCIA:

2km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h 15min (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

Esta rota tem uma duração aproximada de 90 minutos que permite conhecer o Vigo mais essencial num passeio curto e agradável. Esta rota permite visitar a cidade histórica e conhecer os elementos que fazem de Vigo a cidade mais moderna da Galiza. A rota começa no Molhe de Transatlânticos e vai até ao centro da cidade.
Esta rota começa com um passeio pelos jardins das Avenidas. Ao longo deste percurso e do paralelo Parque Alameda, na Praça de Compostela, podem ser vistos excelentes exemplos da arquitectura monumental de finais do século XIX em Vigo, quando a cidade iniciou o seu maior desenvolvimento.

Subindo a rua Colón chegará à rua de Policarpo Sanz, onde encontrará os edifícios mais significativos da milha dourada da arquitetura de Vigo, como o Teatro García Barbón ou as sedes de vários bancos.

Continuando por esta rua, o percurso termina na Porta do Sol, onde está o Sireno, uma escultura meio homem, meio peixe que simboliza a simbiose de Vigo com o mar. Aqui começa a rua peonil e comercial Príncipe, no final da qual se encontra o Museu de Arte Contemporânea.

Voltando à Porta do Sol, atravessamos para o bairro histórico junto à Praça da Constitución, onde se encontra a antiga prefeitura. A partir desta praça arqueada, várias ruas começam com lojas de artesanato e produtos gastronómicos típicos.

O percurso pelas ruas da cidade velha em direcção ao mar, passa pela Igreja Colegiada de Santa Maria, a igreja matriz da cidade e termina numa ponte aérea que atravessa em direcção ao Centro Comercial A Laxe, no cais de trasatlánticos, uma zona de excelente gastronomia galega em que se destacam os produtos do mar e os vinhos com denominação de origem Rías Baixas.

» Rota Cidade Antiga – Vigo

DISTÂNCIA:

2km (ida e volta)

DURAÇÃO:

1h 15min (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

» Senda panorâmica Vigo

Esta rota natural rodeia toda a cidade através das suas montanhas.
O itinerário percorre 40 quilómetros -é a maior rota pedestre de Vigo. Visto tratar-se de uma distância tão grande, pode ser percorrida em 3 fases de umas 5 horas cada uma delas. Para além disso, ao longo do percurso existem inúmeros acessos a partir dos quais é possível iniciar percursos de menor duração.

DISTÂNCIA:

40km (ida e volta)

DURAÇÃO:

15h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

A Senda Azul, que inclui o chamado Rota do rio Lagares, é uma tranquila rota pedestre fluvial que vai de Vigo até suas praias.
A Rota dos Lagares pode ser acessada de muitas ruas no centro de Vigo e percorrida em pequenos trechos: sua extensão total até a praia de Samil é de cerca de 8 quilômetros.

Uma vez terminado a rota junto ao rio, pode continuar ao longo da Senda Azul, cujo percurso continua ao longo das praias de Vigo. Ao longo deste trilho, você pode ver praias pitorescas num enclave natural de grande beleza.

» Senda Azul – Vigo

DISTÂNCIA:

8km (ida e volta)

DURAÇÃO:

15h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

» Rota da Água – Vigo

Esta famosa via natural percorre vários acessos e estradas de serviço do canal que transportava água da albufeira de Eiras em Fornelos de Montes até Vigo.
O último setor, desde o município de Redondela, percorre uma área de grande beleza, entre bosques e arroios, e de lá se pode ver uma boa parte da Ría de Vigo e curiosas vistas da Ponte Rande.

Ao longo deste percurso você entrará em contato com belas e variadas espécies naturais, e é uma atividade de lazer ideal para ir com crianças, pois não tem declives e é um percurso simples.

DISTÂNCIA:

8km (ida e volta)

DURAÇÃO:

15h (ida e volta)

DIFICULTADE:

Média

TIPO:

ida e volta

NÃO ESPERE MAIS…

RESERVE AGORA SEU BILHETE

O bilhete para o destino dos seus sonhos
- +
- -
- +

AVISO IMPORTANTE

Se você for viajar para as Ilhas Cí ou a Ilha Ons a partir de 15 de maio (exceto Campistas), antes de comprar o bilhete, deverá obter a autorização solicitada pela La Xunta de Galicia, onde eles fornecerão o código pré -reserve (necessário para adquirir o bilhete de barco).

CONTINUE LENDO!